Rigging Brasil

logo-300x212

Rigging Brasil integra Projeto Nascer no RS

Projeto, que começou suas atividades em outubro último em Esteio, no Rio Grande do Sul, tem como objetivo levar conhecimento para diminuição de acidentes de trabalho e melhor gerenciamento de riscos

A Rigging Brasil, empresa especializada na prestação de serviços voltados a elevação, movimentação e amarração de cargas, é uma das empresas integrantes do Projeto Nascer (Núcleo Avançado de Segurança, Controle de Emergência e Resgate), que começou a ser realizado em outubro último, na cidade de Esteio, no Rio Grande do Sul. O foco do projeto é levar informações e treinamento a profissionais que convivem com risco eminente de acidentes no trabalho.

O convite à Rigging Brasil veio na carona do trabalho realizado nas principais companhias do País no planejamento e inspeção para movimentação, elevação e amarração de cargas. Dentro do Nascer, a empresa ministra cursos de Movimentação de Cargas (8 a 16 horas), Amarração de Cargas (8 a 16 horas), Inspetor de Equipamentos (8 horas), Supervisor de Rigging (32 horas) e Rigger (40 horas).

“É uma forma de disseminar ainda mais importante conhecimento ao profissional que atua em campo. Mas sempre lembramos que o processo final da movimentação, elevação e amarração de cargas precisa envolver todos aqueles que fazer parte de alguma forma do processo, desde quem compra o material até o operador de um guindaste, por exemplo”, acentua o diretor da Rigging Brasil, Gustavo Cassiolato.

Projeto Nascer – O Núcleo Avançado de Segurança, Controle de Emergência e Resgate tem como principal objetivo a disseminação da cultura de que todo e qualquer trabalho pode ser desenvolvido de forma segura, e que todo e qualquer acidente pode e deve ser evitado. O treinamento e capacitação são os verdadeiros agentes do processo de mudança das atitudes individuais e que afetam o coletivo. A meta do projeto é contribuir para redução das constantes perdas humanas e materiais em todos os segmentos da sociedade.

Por meio do processo de capacitação dos trabalhadores, da assessoria em gestão integrada e o fornecimento de equipamentos especializados para as áreas de Segurança, Prevenção Acidente e Controle de Emergência, o objetivo é tornar o Nascer em referência de qualidade e compromisso com Prevenção de Acidentes e Controle de Perdas. Os setores de atuação são químico, petroquímico, construção, siderúrgico, alimentos, metal mecânico, automobilístico, aviação, mineração, florestal e geração de energia, entre outros. Endereço: Rua Monteiro Lobato, 280. Bairro do Parque, Esteio – RS.

 Sobre a Rigging Brasil – A Rigging Brasil é a única empresa brasileira especializada em inspeção de materiais para elevação, movimentação e amarração de cargas. A empresa conta com tecnologia RFID (Identificação por Radiofrequência) para automatização do processo, que gera mais segurança e economia na prestação do serviço.

 A empresa também conta com áreas de Ensaios, para a verificação das propriedades dos materiais, Consultoria, com avaliações das especificações e aplicações, e Treinamento, com foco no uso e manutenção. A Rigging Brasil tem sede em São Paulo e atende todo o Brasil.

 

Informações à Imprensa

FDBCom Comunicação

Fernando Bella — Mtb.: 42.270

Raony Pacheco

FDBCom Comunicação

11 2379-8875

11 97231-6422

fernando@fdbcom.com.br

raony@fdbcom.com.br

Sunnyvale

Sunnyvale

Fim do embargo chinês alerta para  inspeção com foco em exportação

 

 

O fim do embargo chinês em relação a carne bovina brasileira, que já durava dois anos, reforça possibilidade de exportação e necessidade de investimento em inspeções para controle de qualidade. No mercado interno inspeção também atende RDC da Anvisa

 

A recente boa notícia para a indústria de carne bovina brasileira, que foi a do final do embargo chinês, reforçou a importância de investimentos em inspeção dos produtos para gerar novas possibilidades de exportação. O embargo teve como motivação caso atípico de vaca louca, porém outras questões podem dificultar a venda de produto no exterior. Os frigoríficos precisam respeitar obrigações ligadas a inspeção e ao controle de qualidade exigidos pelos órgão reguladores internacionais. Em território nacional, a própria Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), com o intuito de definir as melhores práticas referente a segurança alimentar, publicou em março deste ano a RDC 14/14 na qual define o que deve ser considerado matérias estranhas em alimentos, inclusive águas envasadas, bebidas, matérias-primas, ingredientes, aditivos alimentares e os coadjuvantes de tecnologia de fabricação, embalados ou a granel, destinados ao consumo humano.

 

Então, tanto para atender normas externas como internas, as indústrias precisam modernizar seus processos de controle de qualidade e a inspeção. Para o enquadramento e redução de riscos de contaminação na produção, os equipamentos mais indicados são os detectores de metais e o Raio X. São equipamentos com investimentos relativamente acessíveis que solucionam este gargalo dentro da produção, além de auxiliar na abertura de novos mercados, já que para exportar também é preciso respeitar órgãos reguladores estrangeiros que obrigam a inspeção e o controle de qualidade dos alimentos.

 

Para o gerente da área de inspeção e controle de qualidade da Sunnyvale, Daniel Sprindys, é indicado que pelo menos um dos equipamentos faça parte do processo. “São equipamentos complementares, pois o Raio X detecta diversos tipos de contaminantes que não seriam identificados pelo detector de metais, como é o caso de vidro localizado em alimentos. É um investimento que não pode ser negligenciado pela indústria, tanto para garantir a segurança do alimento ao consumidor quanto proteger suas marcas, além de atender  norma da Anvisa e obrigações para exportações”, explica o executivo.

 

A Sunnyvale tem área específica de desenvolvimento de soluções para inspeção e controle de qualidade. Conta com linha própria de detectores de metais, fabricados pela alemã S+S, e representa no Brasil a fabricante japonesa Anritsu de Raio X, a alemã WITT para inspeção de gases em embalagens com atmosfera modificada.

 

Sobre a Sunnyvale – A Sunnyvale atua há 36 anos na comercialização e fabricação de distribuidora de equipamentos para codificação industrial, inspeção de produtos acabados, equipamentos para embalagens e  robôs de paletização. A empresa representa cerca de 20 marcas de ponta em tecnologia para área de embalagem, como Domino, Saccardo, Foxjet, Sic, Fuji, S+S e Anritsu, entre outras.

 

No portfólio estão mais de 90 equipamentos para atender a todas as necessidades dos segmentos que atua, o que coloca a Sunnyvale como uma das líderes em seu segmento. A empresa conta com escritório central em São Paulo, com três mil metros quadrados de área construída, e unidade fabril em Itaquaquecetuba, na região metropolitana da capital paulista, com cerca de 10 mil metros quadrados de área construída. Mais informações no www.sunnyvale.com.br.

 

 

Informações à Imprensa

FDBCom Comunicação

Fernando Bella – Mtb: 42.270

Raony Pacheco

11 2379-8875

11 972316422

fernando@fdbcom.com.br

raony@fdbcom.com.br

Sunnyvale

Sunnyvale

Seminário da GS1 Brasil terá tecnologias de impressão para rastreabilidade de medicamentos

 

 A Sunnyvale participa no próximo dia 18 do Seminário GS1 para o setor de saúde que traz como principal temática as Experiências e Desafios na Implementação da Rastreabilidade de Medicamentos. O evento acontece na sede da GS1 Brasil em São Paulo e contará com apresentações de agentes do segmento e visitação ao CIT (Centro de Inovação e Tecnologia) da GS1 Brasil.

 

A empresa apresentará aos participantes as tecnologias para impressão dos códigos bidimensionais que passam a ser obrigatórios nas embalagens dos medicamentos. Segundo o gerente comercial da divisão de codificação industrial da Sunnyvale, Wagner Gennari, é preciso fazer análise das superfícies onde se aplicará a codificação antes de investir em equipamentos. “Hoje estão disponíveis três tecnologias que atendem a praticamente todas as necessidades da indústria farmacêutica para fins de rastreabilidade: Termo Ink Jet, Laser e Termotransferência. O importante é procurar os especialistas para identificar a melhor aplicação”, acentua. A Sunnyvale representa com exclusividade no Brasil a fabricante inglesa Domino Printing, que tem seus equipamentos instalados em países que já utilizam a rastreabilidade e servem de referência, exemplos de Turquia, França e Argentina.

 

O novo sistema de rastreabilidade prevê que cada medicamento conte com um IUM (Identificador Único do Medicamento) e alguns pontos devem ser ressaltados: todos os medicamentos com registros na Anvisa estarão sujeitos à norma, inclusive amostras grátis; As embalagens secundárias de todos os medicamentos, incluindo as embalagens múltiplas, embalagens secundárias para fracionados e embalagens hospitalares, devem conter o IUM; E está confirmada a utilização do código bidimensional Datamatrix nas embalagens, que deverá conter no mínimo os seguintes dados que compõe a IUM: Nº de registro do medicamento junto à Anvisa, Nº serial, Data de Validade e Lote.

 

De acordo com Patricia Amaral Okumura, assessora de soluções de negócios da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, a importância da padronização é fundamental para que os processos beneficiem toda a cadeia de suprimentos da saúde. “Acreditamos que a parceria entre os integrantes da cadeia favorece a adoção correta de padrões, como o GS1 Datamatrix, para que o país se torne um caso de sucesso na implantação da rastreabilidade de medicamentos. É um marco na história da GS1 Brasil participar desse processo, que ajudará a aumentar a confiabilidade e a segurança do setor da saúde.”

 

Sobre a GS1 Brasil – A GS1 Brasil, Associação Brasileira de Automação, é uma organização sem fins lucrativos que representa nacionalmente a GS1 Global. Em todo o mundo, a GS1 é responsável pelo padrão global de identificação de produtos e serviços (Código de Barras e EPC/RFID) e comunicação (EDI e GDSN) na cadeia de suprimentos. Além de estabelecer padrões de identificação de produtos, a associação oferece serviços e soluções para as áreas de varejo, saúde, transporte e logística. A organização brasileira tem 58 mil associados. Mais informações em www.gs1br.org.

 

Sobre a Sunnyvale – A Sunnyvale atua há 36 anos na comercialização e fabricação de equipamentos para codificação industrial, inspeção de produtos acabados, equipamentos para embalagens e  robôs de paletização. A empresa representa cerca de 20 marcas de ponta em tecnologia para área de embalagem, como Domino, Saccardo, Foxjet, Sic, Fuji, S+S e Anritsu, entre outras.

 

No portfólio estão mais de 90 equipamentos para atender a todas as necessidades dos segmentos que atua, o que coloca a Sunnyvale como uma das líderes em seu segmento. A empresa conta com escritório central em São Paulo, com três mil metros quadrados de área construída, e unidade fabril em Itaquaquecetuba, na região metropolitana da capital paulista, com cerca de 10 mil metros quadrados de área construída. Mais informações no www.sunnyvale.com.br.

 

Informações à Imprensa

FDBCom Comunicação

Fernando Bella – Mtb: 42.270

Raony Pacheco

11 2379-8875

11 97231-6422

fernando@fdbcom.com.br

raony@fdbcom.com.br

 

Contatos Assessoria de Imprensa GS1

DFreire Comunicação e Negócios

55 11 5505-8922/99358-4531

Marcelo Danil – marcelodanil@dfreire.com.br

Paula Ires – paula@dfreire.com.br